Contacte-me

Pode entrar em contacto comigo diretamente através de:

e-mail - paco.marizrodrigues@gmail.com

telefone - +351 918 321 078

 

Ou então, preencha o formulário à direita para entrar em contacto!

         

123 Street Avenue, City Town, 99999

(123) 555-6789

email@address.com

 

You can set your address, phone number, email and site description in the settings tab.
Link to read me page with more information.

20170328_02_Pascoa.jpg

Palavra

Exploring the pictorial medium as vehicle for prayer.

A exploração do meio pictórico como veículo da oração.

 

CAA

Francisco Rodrigues

FullSizeRender.jpg

Take, Lord, and receive

all my liberty,

my memory,

my understanding,

and my entire will,

All I have and call my own.

You have given all to me.

To you, Lord, I return it.

Everything is yours;

do with it what you will.

Give me only your love and your grace,

that is enough for me.

Tomai, Senhor, e recebei 

toda a minha liberdade,

a minha memória,

o meu entendimento

e toda a minha vontade,

tudo o que tenho e possuo;

Vós mo destes;

a Vós, Senhor, o restituo.

Tudo é vosso,

disponde de tudo, à vossa inteira vontade.

Dai-me o vosso amor e graça,

que esta me basta.

Recomeços

Francisco Rodrigues

Recomeçar é sempre difícil. Fragmentado, incompleto, com a sensação de mágoa e fraqueza. ..

Restarting is always hard. Fragmented, incomplete, with the feeling of hurt and weakness. ..

 

FullSizeRender.jpg

Colagem de aguarela sobre papel

Watercolour collage on paper

Is 43, 1-3

Francisco Rodrigues

"Nada temas, porque Eu te res­gatei, e te chamei pelo teu nome; tu és meu. Se tiveres de atravessar as águas, estarei contigo, e os rios não te submergirão."

“Do not fear, for I have redeemed you; I have summoned you by name; you are mine. When you pass through the waters, I will be with you; and when you pass through the rivers, they will not sweep over you."

FullSizeRender.jpg
P1150011_EXPORT.jpg

Arte, manifestação da beleza

Francisco Rodrigues

A interação fecunda entre a fé e a arte é de tal forma que, segundo o teólogo Marie-Dominique Chenu, citado pelo papa Joao Paulo II, ≪o historiador da teologia faria obra incompleta, se não reservasse a devida atenção às realizações artísticas, literárias ou plásticas, que constituem, a seu modo, não só ilustrações estéticas, mas verdadeiros lugares teológicos».

No Site do SNPC

Palavra

Francisco Rodrigues

A exploração do meio pictórico como veículo da oração.

O que pode uma imagem fazer para ajudar a oração? Esta foi, e ainda é, uma pergunta que me ponho a mim mesmo de vez em quando.

Há uma fonte de referências a que se possa recorrer? O que pode interferir (negativamente) na relação que se tenta estabelecer quando se reza? Quais são as principais barreiras que se encontra? Um artista deve falar à cabeça ou ao coração de quem reza? O/A artista deve "impor" a sua visão sobre o assunto? Se (?) o/a artista se deve "apagar" como melhor fazê-lo? Deve ser figurativo ou não-figurativo?

Sinto que, hoje em dia, não há nenhuma produção artística activa e real que tente responder a estas e muitas outras questões relacionadas com este aspecto da oração. Sinto que parámos no sec. XIX.

Enquanto católico, não me parece que tenha havido uma actualização formal da forma como usamos as imagens como mecanismo de oração. Ainda usamos as mesmas imagens de há muito tempo e, se fazemos novas imagens a, "formula" e a plasticidade sabem ao mesmo - imagens altamente codificadas que têm de ser decifradas e que pretendem contar uma história ou pensar sobre algo.

Também sinto que não há um acesso real a imagens especificamente desenhadas para a oração e as de qualidade a que temos acesso são os ícones cristãos tradicionais que têm uma expressão muito forte na Igreja Ortodoxa. Isso é suficiente?

Então que fazer? Na verdade não sei bem. Mas há um caminho a ser feito.

Exploring the pictorial medium as vehicle for prayer.

What can a picture do to facilitate the act of prayer? This was, and still remains an important question I ask myself from time to time.

Is there a well of reference one can use? What can interfere (in a negative sense) in a relationship one tries to establish while praying? What are the main blocks one faces? Should an artist talk to the head or to the heart of the one who prays? Should the artist "impose" his/her view on the subject? If(?) one should efface his/ herself how best to do it? Should the work be figurative or non-figurative?

I find that, nowadays, there is no active, real artistic production that tries to answer these and many other questions regarding this particular aspect of prayer. I feel we have stopped on the 19th century.

As a catholic, I don't find that there has been a formal update on how we relate to images as a mechanism for prayer. We still use images from a long time ago and if we make new ones, the "formula" feels the same - highly codified images that have to be deciphered and that are intended to tell a story or to think about something.

I also feel there's no real access to imagery specifically intended for prayer and the quality ones we can have access to are the traditional christian icons, with a strong presence in the Orthodox Church. Is that enough?

So what to do? I don't really know. But there's a road to be travelled here.